09 novembro 2009

A Primeira Maratona


Nem sei bem por onde começar tal o turbilhão de ideias que me ocorrem para iniciar este post!
A verdade é que o dia de ontem foi perfeito!

Acordei hoje com a sensação de ter realizado algo fenomenal!
O feito de terminar a Maratona foi algo de extraordinário fazendo valer a pena cada segundo de treino passado no asfalto.
Para quem acha que a Maratona é uma corrida longa até achei que o tempo de prova passou depressa demais... :D
Parabéns a todos aqueles que concluíram esta excelente prova!

Bem, mas começando pelo princípio:

Pelo meu post anterior poderia perceber-se alguma ansiedade e dúvidas próprias de um principiante. Confesso que estava algo nervoso e por isso tentei planear tudo ao milímetro para que não me escapasse nada...
Por acaso na noite anterior consegui dormir impecavelmente, acordei às 6.45h sem precisar sequer de despertador e pronto para cumprir o Objectivo 42,195!

Estava tudo preparado de véspera e foi só enfiar-me no fato de treino e tomar o pequeno almoço: 1 taça de flocos de cereais, 1 banana e uvas passas q.b. , tudo regado com agua e Powerade à medida que me ia apetecendo.

Às 7.30h conduzi até ao Parque da Cidade para estacionar o carro no local de chegada e de onde saiam os autocarros para ponto de partida junto ao Palácio de Cristal.















O ambiente estava descontraído e divertido. O dia era de festa e toda a gente aproveitava para tirar fotografias e e trocar impressões sobre a prova.

Entrei no autocarro que subiu toda a Avenida da Boavista a apanhar todos os semáforos verdes à excepção do último.Não consegui deixar de fazer uma analogia com a Maratona...

Antes da partida encontrei alguns dos CyberRunners e foi com eles que passei o tempo que antecedeu o tiro de partida. Fiz um ligeiro aquecimento e fui para o ponto de partida. As zonas de largada estava separadas entre as diversas provas que iam ocorrer neste dia ( Maratona, Family Race 14K e Mini Maratona 6K) o que facilitou bastante a vida dos maratonistas.

Apesar do céu nublado a temperatura estava excelente para correr. Não chovia naquele momento e o vento deu tréguas ao contrário do que estava anunciado com Alertas Amarelos, etc.
O objectivo era simples: pace de 4m15s por K para fechar em 3 horas.

Às 9h em ponto foi dado o tiro de partida e os 1200 atletas lançaram-se à estrada para desafiar pela 6ª vez a Maratona do Porto. Logo atrás partiram os atletas da Family Race e tenho a certeza que muitos deles estarão para o ano a correr o triplo da distância!

O primeiro K é feito a subir a Rua Júlio Dinis até à Rotunda da Boavista. Não há problema, porque ainda há muita força. Em simultâneo começou também a cair uma chuva miudinha que nem sequer incomodava, mas o importante era que não aumentasse.
Ao contrário de outras provas aqui o importante é sair com calma. Eu sabia disso, mas a correr ao meu lado já iam os atletas dos 14K com um ritmo muito forte e existe sempre aquela tentação de seguir atrás deles, nem que seja de forma inconsciente.
Passei junto à Casa da Música com 4m21s fruto da subida e da confusão da partida.


2º Km já em plena Avenida da Boavista. Era necessária cautela a redobrar porque quase toda avenida é a descer. Mesmo assim deixei-me levar pelo ritmo de outros atletas que conheço de vista e fiz este K em 3m49s, muito acima do pretendido! Reduzi o andamento e comecei a travar com o motor. Podia eventualmente adoptar a táctica de ganhar algum tempo no início para depois descontar no fim, mas preferi poupar forças para quando precisasse, embora fique sem saber os segundos que poderia ganhar. A realidade é que a corrida ainda agora tinha começado...


3 e 4º Kms com uma ligeira saída da Av Boavista com passagem pelo viaduto das Andresas. Logo aqui já haviam imensos e animados grupos que iam conversando e brincando. Aqui o ritmo ia nos 4.09. Fui perguntando aqui e ali para que tempo corriam.
As respostas eram na maior parte dos casos descomprometidas. Naquela fase da prova ainda é difícil dar uma resposta, mas como havia ainda havia muito asfalto para percorrer deixei-me ir com um grupo que ia trocando as suas experiência de anteriores maratonas.

5º, 6º e 7º Kms, novamente na Av Boavista e a conversa acabou por me distrair. Ia a rodar a 4.05 embalado pela descida. Por volta do 7ºK conheci um colega chamado Sérgio Ribeiro que segundo me recordo corria a sua sétima maratona com passagens por Paris e Barcelona. Ele corria para 3h15 mas aquele ritmo era bom para mim.


8ºKm, entramos na Rotunda do Castelo do Queijo com passagem pelo edifício Transparente. Aqui já dava para ver os atletas em vinham em sentido contrário. Um mar de gente bonito de se ver , embora em nada comparável com as grandes maratonas por esse mundo fora.
A chuva parou. Óptimo. Esta zona costuma também ser bastante ventosa, mas nem reparei no vento. Talvez estivesse demasiado concentrado.

9º Km,
na Foz do Rio Douro, nas Avenidas de Montevideu e Brasil.
Este era o momento em que os atletas da Family Race davam a volta
reduzindo-se
assim substancialmente o número de atletas.
Aqui o piso em empedrado obrigava-nos a saltar para cima dos passeios para não massacrar os joelhos que ainda tinham muita estrada para fazer.




10ºKm,
no Passeio Alegre. Aqui não evito rir-me, porque este passeio não é nada alegre para corredores. Os paralelepípedos massacram os joelhos, mas um pouco mais à frente já recomeçava o asfalto puro e duro. Apesar de ainda me sentir forte tomei aqui o primeiro gel. Neste caso estava aqui a fazer a minha primeira experiência de amador. Deixei de tomar café há cerca de 21 dias e a diferença é que este gel tinha cafeína. Psicológico ou não a realidade é que pior não me senti.

11º e 12ºKm, o problema do boletim meteorológico é que afastou o público. As bandas musicais que estavam previstas também não tinham aparecido até aqui, por isso recordo-me particularmente do Km 12 por ter avistado o meu amigo Novais que este ano esteve impedido de correr por lesão. Valeu pela força Novais!As melhoras!


13 e 14º Km e 15º, aqui já estava a entrar no meu território de treino. Quantas vezes palmilhei esses Kms e quantas vezes passei por debaixo da Ponte da Arrábida.
Que sorte por poder treinar diariamente neste cenário!
Nesta fase também comecei a fazer alguma contas de cabeça, porque o Garmin já estava a errar por cerca de 200 metros o que poderia ter infuência na marca final. Agora deixamos de correr contra-relógio e passamos a correr contra-GPS.


16º, 17º Km, entramos na Ribeira do Porto, zona histórica. Aqui o público começou a aparecer com muito espanhóis a fazerem-se notar. O piso irregular não ajudava muito e foi precisa muita atenção para não cair ou fazer uma entorse. Aqui tinha também combinado com a minha irmã e irmão a entrega de um saco de gel, mas apesar de os ter visto não consegui recolher, talvez por ter passado depressa demais. lol


18º, 19º e 20ºKm, passagem pela Ponte D.Luís e entrada em Vila Nova de Gaia. Estava a correr em casa e também aqui fiz grande parte dos meus treinos. Piso empedrado. Toda a gente no passeio. Sentia-me muito bem, mas já vinha há algum tempo com necessidade de fazer uma "paragem técnica". Devo ter perdido um minuto com esta paragem, mas preferi parar neste momento, porque sabia que as pernas iam recomeçar bem. Assim foi. Perdi o Sérgio Ribeiro ao qual vinha fazendo companhia desde a a Av Boavista e juntei-me durante algum tempo a dois veteranos com quem conversei um pouco, mas dos quais não me recordo do nome. Fiz o Km 20 em 5m12s.

21º e 22ºKm, dois Km em tempo canhão:4 minutos na tentativa de recuperar algum do tempo perdido.
Chegamos à Afurada e dava-se o retorno.
Fiz a passagem à Meia Maratona com 1h29m30s,exactamente dentro do previsto , mas sem qualquer margem de manobra.

23º, 24 e 25º Km, aqui juntei-me a um grupo em que um dos corredores levava música a tocar para toda a gente. Foi divertido correr com aquele som durante alguns Kms e o ritmo permitiu ganhar algum tempo. Neste momento senti que era necessário ir amealhar segundos...

26º e 27ºKm, nova passagem pelo Cais de Gaia e pela Ponte D. Luís. Entramos novamente no Porto em direcção à Ponte do Freixo. Sempre ouvi falar de ser uma parte negativa do percurso porque ao invés de virarmos à esquerda (em direcção à meta) somos obrigados a ir para a direita e a fazer um percurso de ida e volta de 3+ 3 kms.
Muito apoio do público. Excelente. Desta vez consegui apanhar o gel. Aqui arrisquei um pouco porque nunca tinha experimentado este tipo de gel da Isostar. A verdade é que era bastante bom e fui entretido a ingerir o gel durante algum tempo.
Estávamos a entrar na fase decisiva da Maratona!

28ºKm e 29ºKm, tive a sorte de encontrar o meu parceiro até ao fim da corrida. António Santos, segundo depois vi no final. Perguntei-lhe para quanto tempo ia a resposta foi assertiva e confiante. Era o que eu precisava de ouvir. A passada era tão segura que até parecia que tínhamos acabado de começar.
Fizemos o retorno no Freixo e "começou a corrida"!


30º Km, o temido muro estava ali, mas felizmente não foi para mim! "Já só faltam 12", disse o meu companheiro! "Só mais cinquenta minutos de esforço", pensei comigo.

31º, 32º e 33º Km, continuávamos a rodar a 4m10s por Km. Já começava a notar algum esforço em manter este ritmo, mas sabia que era a partir daqui que começava o sacrifício. A Maratona é uma corrida solidária onde todos os participantes se incentivam mutuamente, mas o facto de ir ultrapassando vários participantes era motivador. E mais motivador era o facto de o fazer a um ritmo vertiginoso. Pelo menos parecia. lol
Ia-me cruzando com os outros Cyber Runners. Lembro-me de cruzar com o Miguel Paiva, Meixedo que correram muito tempo juntos, Fernando Andrade , António Almeida, Otília, Joaquim, o Rui Pena e também com o Luís Mota que só vi mesmo na corrida. Os outros ainda encontrei na Pasta Party e no aquecimento. Sempre que podia ia dando a força possível.
Nova passagem pela Ribeira.

34º, 35 e 36ºKm, continuava num ritmo demolidor (gosto desta palavra) à boleia do António Santos, mas o GPS já assinalava uma diferença de 400 metros. Passei a concentrar-me apenas nas placas que iam assinalando os Kms.
Passei pelo Sérgio Ribeiro, companheiro dos primeiros Kms que também ia com uma boa passada e que também concluiu com uma excelente marca.
Aqui tive o primeiro susto: um atleta deitado no chão a contorcer-se com caímbras. Já tinha lido e ouvido falar, mas naquele momento fiquei assustado e com algum receio, porque a frescura já não era a mesma. Benditas as âmpolas de Magnesona!

37ºKm, novamente o Passeio Alegre. Aqui as pernas já davam ar de estar a fraquejar. Comecei a compreender na prática o motivo de dizerem que a maratona tem uma forte componente psicológica. À medida que me ia aproximando do fim pensamentos positivos e negativos iam-me passando pela cabeça. Se por um lado sabia que eram só mais 20 e tal minutos de esforço, também não conseguia deixar de pensar que ainda ia ter de fazer a volta até à Rotunda da Anémona e depois subir novamente a Av da Boavista.
Continuávamos a passar atletas.Ia-lhes dizendo " força, força", palavras que aproveitava para mim próprio.

38º e 39ºKm, uma extensa recta não é nada agradável para quem já vem com o depósito em baixo. Na verdade foi a partir daqui que comecei a quebrar. Perdi o contacto com o António Santos apenas o mantendo em linha de vista.
Julgo que nesta fase são fundamentais os treinos longos que se tiverem feito.
Quem quiser fazer uma maratona tranquila tem de treinar como se estivesse a preparar para uma ultra-maratona sem vacilar nos treinos longos.

40ºKm e 41º Km, aqui o apoio do público é crucial. Só ouvia " Força Mark" , " Força Velhote", "mais um pouco".
Muito bom mesmo. Espectacular!
Passamos novamente em frente ao edifício transparente e começamos a subir a Avenida.

42, 195ºKm , mais apoio! Nem consigo imaginar como será Boston, Paris, Nova Iorque!Embora aqui como somos menos atletas também somos alvo de maior atenção. A subida nem pareceu assim tão díficil quanto isso, mas só deu para fazer em 4m18s, sem qualquer força para o sprint final que me permitisse baixar das 3h .

Resultado Final 3h00m14s
Tempo de Chip 3h00m02s



Resultados completos aqui

Terminei obviamente cansado, mas com vontade imediata de repetir! Nunca mais chega Abril!!

No final ainda tive força para esperar por uma reconfortante massagem e aproveitar para trocar umas palavras com alguns franceses (já deu para ir tirando a ferrugem do meu francês).

Em jeito de conclusão, muito obrigado a todos os que tiveram paciência de ler até aqui! Só tenho pena de não ter mais fotos para colocar. Tenho de começar a dar mais valor à vertente fotográfica dos eventos!
Outra coisa que gostaria era de ter as minhas filhotas no final, mas não foi possível...e só por isso o dia não foi 200% perfeito...

Como já disse anteriormente sem este blog talvez não tivesse levado avante esta demanda. Teria provavelmente feito algumas corridas, mas não mais do que isso. Mais uma vez obrigado a todos!

Até Paris!

32 comentários:

Rui Pena disse...

Boas Mark,

Excelente maratona, excelente relato. Obrigado por partilhares isto connosco... Espero que haja muita gente a ler... Só nos faz bem ler estas coisas!

Abraço,

Rui Pena

hugo10 disse...

Excelente relato assim começo a ganhar coragem para a minha primeira maratona, parabéns pelo tempo fantastico.
Abraço

Nelson Valente disse...

Parabéns pela pela prova.

eu também fiz a minha primeira maratona e também acordei hoje com a mesma sensação, sou um leitor irregular de blogues , mas não podia de deixar este comentário hoje. acabei com 1.28 dentro do meu objectivo sem arriscar demais ( ainda pensei em acompanhar o Meixedo quando ele passou por mim cheio de gás no inicio da súbida para a av da boavista ), mas estou estou contente por ter acabado principalmente, mas acho extraordinário 3horas !

Cumprimentos
Nelson Valente

Nelson Valente disse...

3.28 . se fosse 1. 28 tinha um super record mundial.......

luis mota disse...

Olá Mark!
Os meus parabéns pela excelente marca.
Hoje não sei se fiz bem em transmitir-te a minha opinião relativamente à prova e ter-te assim prejudicado. Provavelmente, um pouco mais de ousadia poderia ter-te levado a baixar as 3 horas. Mas foi excelente companheiro!
Acredito que o tempo vai baixar na próxima. Agora saboreia o bom resultado.
Domingo eu o Almeida e o Adelino vamos à Nª Senhora da Nazaré provavelmente com algum reforço de última hora da Invicta.
Uma boa semana para ti,
Luís Mota

António Almeida disse...

Olá Mark
parabéns pela excelente estrei na na distância, sempre acreditei que era uma marca ao teu alcance.
Parabéns pelo teu excelente relato e pela partilha aqui na blogosfera.
Claro obrigado pelo incentivo, vi na altura que ias super bem.
Em Paris vais baixar decerto das 3 horas.
Boa recuperação.
Grande abraço.

Henrique disse...

olá Mark
parabéns pela tua 1ª e brilhante prestação na maratona.Li com agrado a tua excelente narrativa.
desejo-te uma boa prova em Paris, onde certamente vais melhorar o teu tempo, pois a diferença do nº de participantes, que serão cerca de 35000, vai dar outra motivação.
abraço
Henrique ( CVP )

aalavic disse...

Caro Mark, desculpe que lhe diga, mas você não corre. Você VOA!!! Fazer a estreia desta forma com um ano e pouco da coisa é qualquer coisa de fenomenal!!! Muitos parabéns!

PS-depois da "minha" Family Race fui para o fundo da Avenida (aquela inclinação naquela altura da prova, vai lá, vai...) puxar pelos maratonistas. Fui um dos que berrou por si!

António Vicente

ns disse...

Parabéns pelo resultado! Prova muito equilibrada, a segunda meia foi praticamente igual à primeira.

Se algum dia me aventurar numa maratona terei o relato do Mark em conta, pois só admito fazer se conseguir fazer uma marca próxima das 3h.

Boa recuperação.

Alberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alberto disse...

Parabéns, Mark, pela excelente estreia e pelo magnífico relato!

Também eu tive a oportunidade para me estrear na distância, acabei por fazer menos 25min do que o meu (bem mais modesto, claro!) objectivo das 4h, o que para mim já foi uma excelente marca! Claro que a tendência agora será sempre para melhorar, também eu fui um pouco a medo, fiz 1.51 na 1ª metade e 1.44 na 2ª...

Tenho a certeza que em Paris irás baixar bastante das 3h, assim as condições meteorológicas estejam de feição, como estiveram as deste Domingo!

Um abraço e força nesses treinos, depois dos dias de descanso necessários e bem merecidos!

Alberto Mendonça

MPaiva disse...

Mark,

A tua estreia foi simplesmente BRILHANTE! O resultado final de 3 horas demonstra, para além de uma excelente qualidade atlética, uma grande capacidade de doseamento do esforço, pois conseguiste fazer a prova sem grandes diferenças entre a primeira e a segunda metade.
O treino aturado e a forma meticulosa como temos visto que preparaste este objectivo foram justamente recompensados por este resultado que, estou certo, tem ampla margem de progressão.

abraço
MPaiva

PS - Não imaginas o quanto me sinto satisfeito por me ter enganado redondamente na previsão que fiz quanto ao teu tempo final!!!

joaquim adelino disse...

Olá amigo Mark
Que história sobre a Maratona, para além de simbolizar e acompanhar a odisseia que o meu amigo viveu durante todo o percurso permitiu-me estar por dentro do seu esforço e da sua luta para conseguir o seu objectivo. Dá para concluir que se preparou muito bem, e ainda deu para se ir preocupando com os outros incentivando-os, tal como aconteceu comigo, e sempre com um sorriso nos lábios apesar do seu esforço. Com o seu relato aprendi também a conhecer melhor a Cidade do Porto, pelo menos aquela parte por onde passámos e as imagens contribuíram muito para isso.
Parabéns portanto pelo sucesso e que agora consiga uma boa recuperação.
Abraço.

NK disse...

Um relato e uma estreia de fazer inveja!
Prevejo 2:50h para Paris, uma grande escolha para consolidar a paixão

BritoRunner disse...

Excelente relato e excelente prova, se não fosse a paragem técnica e a marca das 3h00 tinha sido derrubada.

Boa recuperação e bons treinos para Paris, em Março temos trilhos heheeh

Abraço
JCbrito

José Alberto disse...

Olá Mark,

Muitos parabéns. Desfrute este momento de glória, que bem merece, pois as coisas não acontecem por acaso, mas sim fruto de muito trabalho e dedicação.

Continuação de bons treinos.

José Alberto

Otília disse...

Olá Mark!

Parabéns pelo excelente tempo na tua 1ª Maratona.
Foi um prazer ler o teu relato.
Agora que venha a próxima, e que cada vez seja melhor.
Agradeço a força durante a prova nem sei como conseguias ir naquele ritmo e ainda reconhecer alguém.

Até á próxima, a minha não será Paris mas Sevilha.
Otília Leal

Isabel disse...

Olá Mark...

Ainda não foi desta que nos conhecemos,foste muito rápido, nem te vi passar!

Os meus parabéns, a ti e a todos que participaram nesta prova, esperemos que para o ano, o número de atletas duplique, quanto a atletas femininas.... bem está complicado, mas havemos de lá chegar!!

rustman disse...

Parabéns pela prova e principalmente pela crónica, eclarecida, esclarecedora, pedagógica e... apaixonada.

Este post vai levar uns queantos a aventurar-se nos 42,195km!

Um abraço.

Katryny disse...

PARABÉNSSS MARK!!!
Emocionante seu depoimento. As fotos e os registros dos km's me fizeram sentir estar lá.
Realmente é um privilégio poder correr num local tão belo como esse.
Um grande abraço e muitas maratonas emcionantes como esta para você.

Katryny
futuramaratonista.blogspot.com

leoesveneza disse...

Olá Mark
Parabéns pela excelente prova!
O relato,então,está uma delícia!
Obrigado pela força que me deste no final.

Abraço
Paulo Rodrigues

Vitor Dias disse...

Olá Mark

Pela prova já te tinha dado os parabéns. Venho agora fazer o mesmo pelo relato. Simplesmente extraordinário.

1 grande abraço e força para Paris.

Vitor Dias

Diego da Costa disse...

Meus parabéns pela excelente prova. E o relato ficou muito bom.

Abraços!

::TC Projeto Triathlon (Tuco):: disse...

Meu amigo!! Prova de campeão!! Excelente tempo, e a sua descrição nos fez correr juntos!! Um forte abraço, aceite nossos parabéns e admiração!! Um abração!! Tuco

Novais disse...

GRANDE,GRANDE PROVA.
já tive o prazer de te dar os parabens pela prova, via SMS, foi com grande prazer que li e reli a tua cronica da maratona, está excelente, obrigado por me incluires nela. Não há duvida de que para uma primeira maratona foi uma excelente marca, foi pena não teres conseguido tirar uns segundos assim já caía nas duas e qualquer coisa, mas de certeza que na proxima não vão ser segundos, seram minutos que vais conseguir tirar.

Parabens, Novais

Vitor Veloso disse...

Olá Mark
Parabéns pelo excelente tempo na tua 1ª Maratona. Li com agrado a tua excelente narrativa. Acredito que o tempo vai baixar na próxima maratona.
Que agora consiga uma boa recuperaçao!
Abraço

José Capela disse...

Mark,

Agora o título do blog ganhou definitivamente sentido! (rsrsrsrsr)

Faltou um danoninho (3 segundos) para baixares a fasquia das 3 horas.
Mas deixa que te diga para a estreia estiveste em grande!
E mais, a tua vida desde domingo nunca mais será igual...foste atingido pelo vírus da maratona e agora vais ficar dependente e não vais perdoar pelo mesno uma durante cada ano! (rsrsrsrsrrssr)

Abraço

José Capela

Corridas e Maratonas disse...

OLá Mark! Fiz aminha 1ª maratona em 2008, e relamente é fantástico!
Agradecemos pelos eu relato, e parabéns pelo tempo!!! Nossa vc foi muito bem!!!

Ainda almejo correr uma martona fora do Brasil, quem sabe a gente se encontra?
Bons treinos!!! Pri
corridasemaratonas.blogspot.com

LuisCosta disse...

Uma excelente prova e um excelente post!! Objectivo cumprido:Parabéns,

Abraço
Luis Costa

J. Fernandes disse...

Parabéns Mark pela excelente prova. Fui um dos que ouvi a palavra uma palavra de incentivo quando me cruzei contigo. Realmente é impressionante o discernimento que levavas numa fase tão difícil da prova. Tenho a certeza que vais baixar das 3 horas em Paris.

João Paulo Meixedo disse...

Excelente prova e excelente relato.
Estás em grande forma. Concentremo-nos em Paris, que aquilo é que vai ser de arrompa.
Grande abraço.

Frank Knaesel disse...

Olá Mark, quanto tempo. Ainda estou devagar, treinando 1x, as vezes 2x por semana. De qualquer forma, li seu excelente POST e relato da 1ª de muitas (ainda que um tanto tardiamente). Força meu amigo! Abraço, Knaesel.